O bloqueio do proibido que antes era permitido

Já é público que a Anatel decidiu bloquear o uso de aparelhos celulares piratas. Se não tiver registro na entidade, o sinal será bloqueado e esta resolução se estenderá tanto a aparelhos “piratas” quanto importados que não estiverem devidamente homologados. Então não adianta pedir ao seu amigo que foi ao exterior comprar um aparelho recém-lançado, de ultima geração, porque ele terá seu sinal bloqueado. Esse bloqueio partirá da operadora que estiver em uso nos aparelhos, por meio de identificação do SimCard.

Então, você que usa celulares com 2, 3 e até 4 chips, essas “porcarias” do Paraguai, China, Uzbequistão ou seja lá de onde for, não mais terá utilidade alguma, a não ser peso de papel. Aparelhos com denominação “MP10” “MP11” e outros mais, com televisão, mp3, Java e outras tantas coisas a mais só reforçam a ideia de que o brasileiro realmente é um povo que não se importa com nada, levando vantagem é o que interessa.

Um aparelho de origem duvidosa, como esses tantos que tem por ai, ferem diretamente diversos direitos dos consumidores, desde a omissão da quantidade de radiação emitida por esses aparelhos, fragilidade de componentes, como baterias que explodem e telas de touchscreen que trincam com o vento, até mesmo a inexistência de assistência técnica autorizada… e a grande maioria, nem garantia de fábrica! Do que adianta economizar até R$ 1.000,00 na compra de um aparelho, e depois ter esse valor diluído pouco a pouco nas idas e vindas em consertos e trocas de peças? Qual a vantagem de ter um aparelho com sistema operacional que não pode ser atualizado direto pelo fornecedor, obrigando o consumidor a instalar toda vez, atualizações mais “piratas” do que o próprio aparelho?

Alguém pode me explicar, qual real necessidade de se ter 4 chips em um único aparelho de celular?

Agora uma pergunta mais interessante: Por que a Anatel, portadora desse “poder” de bloquear esses aparelhos “piratas”, de 3º categoria, permitiu que, desde 2006, até os dias de hoje, funcionassem de forma normal e sem controle? Por que esta atitude não foi tomada há alguns anos atrás, quando começou essa febre de porcarias tecnológicas? Será que se esta medida tivesse sido tomada, hoje teríamos um cenário diferente no quesito telefonia celular? Muitas perguntas, nenhuma resposta. A única certeza é de que o Brasil é realmente um País sem fronteiras, a não ser para o próprio povo brasileiro.