Nokia e o Sonho da Casa Própria

Que a Nokia perdia espaço no mercado, isto era indiscutível. A prova máxima de que a gigante finlandesa passa por maus bocados foi a venda da sua sede na cidade de Espoo, por 170 milhões de euros.

Com o constante crescimento do iOS e do Android no mercado de celulares e smartphones, o Symbiam foi perdendo terreno e é claramente visível que a Nokia não soube evoluir seu produto e até o momento, a parceria com o Windows Phone não vingou o esperado.

Após ter declarado aumento de 464% no seu prejuízo no terceiro trimestre deste ano, total de 943 milhões de euros contra 167 milhões de euros no mesmo período em 2011, a solução foi vender sua sede, um edifício de 48 mil metros quadrados de frente para o Golfo da Finlândia, desenhado pelo arquiteto Pekka Helin.

“Não somos uma empresa imobiliária, por isso faz sentid concentrar os investimentos em nossas operações centrais”, declarou James Etheridge, porta-voz da Nokia, em Outubro, quando a empresa anunciou a intenção de venda do prédio.

Sede da Nokia em Espoo

Por enquanto a Nokia continuará no mesmo lugar, a Exilio, empresa de gestão de imóveis e nova proprietária do edifícil, firmou contrato de locação, que manterá todas as instalações já existentes. Basta aguardar o resultado prático da transação e confirmar se a Nokia terá fôlego para acertar o rumo.

  • João Acácio

    Quando o calo aperta…