Obi-Wan Kenobi, o Mestre da Força

Sensato e reflexivo, Obi-Wan Kenobi mesclava em sua caráter a bondade de Qui-Gon Jinn e a sabedoria e a disciplina de Yoda. Passou sua infância e adolescência entre os muros do Templo Jedi, e até os doze anos recebeu a tutela de Yoda e de outros instrutores. Um ano mais tarde, Qui-Gon Jinn, impressionado pelas habilidades do menino, solicitou ao conselho converter-se em seu mestre formal. Qui-Gon cuido de inculcar em seu discípulo a sensibilidade à Força.

Quando ocorreu o bloqueio de Naboo pelas forças da Federação do Comércio, o conselheiro Valorum enviou Qui-Gon Jinn e Obi-Wan  Kenobi em missão diplomática para encontrarem uma solução pacífica para o conflito. Mas os nemoidianos, sob ordens de um Lord Sith chamado Darth Sidious, haviam planejado a invasão do planeta e as negociações não chegaram a acontecer. Depois de resgatar a rainha Amidala, escaparam das tropas da Federação e chegaram a Tatooine, onde Qui-Gon encontrou Anakin Skywalker, um pequeno escravo que possuia algum conhecimento inato da Força e em quem acreditou ter encontrado o “escolhido“.

A Ameaça Sith

A missão em Naboo resultou em uma dura prova para o jovem Obi-Wan Kenobi, que testemunhou como seu mestre foi abatido em um feroz combate de sabres de luz contra Darth Maul. Depois de derrotar o aprendiz Sith, prometeu ao moribundo Qui-Gon Jinn que tomaria Anakin como seu padawan. Impressionados com a forma como enfrentou a situação e conscientes de seu amadurecimento e domínio da Força, os membros do Conselho Jedi decidiram que Obi-Wan havia completado sua aprendizagem e que já era um cavaleiro Jedi.

Converter-se de repente em mestre do insensato e imprudente Anakin resultou uma grande mudança. Como este não havia recebido nenhum tipo de instrução Jedi, Obi-Wan se viu obrigado a ensinar-lhe desde as lições mais básicas. À medida que Anakin aprendia a dominar a Força, Obi-Wan começou a detectar nele uma perigosa combinação de poder e arrogância.

Enquanto a inquietação ia se estendendo pela Galáxia, uma coalização de diversos mundos liderada pelo Conde Dookan, um antigo Jedi, decidiu se separar da República. Obi-Wan, depois de conseguir evitar, com a ajuda de Anakin, o assassinato da senadora Padmé Amidala, viajou para o planeta Kamino seguindo o rastro do assassino. Ali fez uma descoberta inesperada: alguém havia ordenado em segredo a criação de todo um exército de clones, baseando-se no perfil genético de um caçador de recompensas chamado Jango Fett.

Obi-Wan Kenobi persegui Jango até Geonosis, de onde pôde atentar o Conselho Jedi de que os separatistas estavam fabricando nesse planeta um poderoso exército dróide. Pouco depois foi capturado, assim como Padmé e Anakin, que haviam ido ajudá-lo. Uma centena de Jedis, junto com as tropas clônicas comandadas por Yoda, conseguiram libertá-los antes que fossem executados. A grande batalha que se originou entre as forças dróides dos separatistas e o exército da República marcou o princípio das Guerras Clônicas.

Obi-Wan liderou as tropas dos clones em várias batalhas e se converteu em um membro muito importante dentro do Conselho Jedi. Quando o chanceler Palpatine foi capturado pelo general Grievous (o maléfico comandante do exército de dróides), Obi-Wan e Anakin o resgataram. Pouco depois, a pedido do Conselho, Obi-Wan perseguiu Grievous até o planeta Utapau, onde por fim o derrotou. Foi quando o Império executou a Ordem 66, à qual só sobreviveram Yoda e Obi-Wan. Anakin, por sua vez, enganado pelo Imperador, caiu sob o poder do Lado Negro. Sua inesperada traição contra os Jedis foi um golpe devastador para Obi-Wan Kenobi. Este, seguindo o conselho de Yoda, encontrou-se com Anakin no planeta vulcânico de Mustafar. Ali, mestre e aluno travaram um terrível combate, que terminou com Obi-Wan abandonando Anakin às portas da morte.

“Use a Força, Luke!” – Obi-Wan Kenobi

Obi-Wan Kenobi no episódio 4, interpretado por Alec Guiness, falecido em 2000.
Obi-Wan Kenobi no episódio 4, interpretado por Alec Guiness, falecido em 2000.

Star Wars, Official Site http://starwars.com/